São optimistas os empresários face à conjuntura económica actual?

São optimistas os empresários face à conjuntura económica actual?

01/09/2016 fonte “América Economía”

De forma geral, podemos resumir a visão dos empresários mundiais em relação à situação económica nos seus respectivos países como uma previsão meteorológica: céus nublados com algumas tempestades locais. Se bem há optimistas – como os investidores da Índia (90%), Irlanda (86%), Botswana (78%), Nova Zelândia (76%) ou Nigéria (64%) – o ânimo geral é ver o vaso mais que meio cheio, meio vazio. E isso demonstra-se também no facto de que as boas expectativas são maiores na aparentemente estagnada Itália (50%) do que na Alemanha (38%), Suécia (34%), México (22%) ou Argentina (20%).

O International Business Report (IBR), elaborado pela consultora Grant Thorton, indica que só 35% das empresas em todo o mundo “espera aumentar os lucros nos próximos 12 meses, a cifra mais baixa desde o segundo trimestre de 2012”. Um dos seus analistas, Ed Nusbaum, afirma que, “ao mesmo tempo, só 13% das empresas esperam exportar mais no próximo ano”.

Nos parâmetros de Investigação y Desenvolvimento (I+D) a expectativa também não se eleva: “apenas 18% das empresas do mundo planificam impulsionar a despesa em I+D nos próximos 12 meses”.

Perante esta conjuntura, prevê-se alguma boa notícia? “Os nossos dados revelam um raio de esperança na forma de poder aquisitivo do consumidor. Com taxas de inflação baixas, quase uma de cada cinco empresas (19%) planificam, a nível mundial, adjudicar um aumento salarial superior à inflação de este ano”. É certo que pode parecer escasso, mas é “a cifra mais alta jamais registada”.