O plano de investimentos de Bolsonaro dispara as perspectivas de Sacyr e Ferrovial no Brasil

O plano de investimentos de Bolsonaro dispara as perspectivas de Sacyr e Ferrovial no Brasil

Fonte: OKDiario
04/01/2019

Uma das primeiras coisas que Jair Bolsonaro fez ao iniciar o seu mandato presidencial no Brasil foi anunciar um ambicioso plano de infra-estruturas, de 1.700 milhões de Dólares, com o que pretende impulsionar a economia nacional: “concessões de ferrovias, 12 aeroportos e quatro portos”.

As construtoras espanholas com maior presença no país, Sacyr e Ferrovial, confirmam que é uma boa notícia que uma grande economia como o Brasil aposte pela obra pública, embora afirmem que terão de conhecer os detalhes do plano.

Desde há dois anos que Sacyr tem maior presença no Brasil e é uma das concessionárias com melhor posição no país, tendo inclusive uma filial lusófona – Sacyr Somague. Detém a gestão do metro de São Paulo, ganhou uma obra para o metro de Fortaleza com máquina de perfuração de túneis, orçamentada em cerca de 300 milhões de Dólares, e ao mesmo tempo está também a apresentar concessões no Brasil.

Ferrovial, por seu lado, participou dos dois lotes de privatização de aeroportos ocorrida até ao momento no Brasil, e construíram duas estradas nestes últimos anos. Ferrovial analisa os distintos projectos de forma independente, seja através dos seus peritos no mercado das concessões, da privatização de aeroportos, construção de obra civil ou outros ramos. A companhia já viveu parte da explosão de infra-estruturas nos Estados Unidos, onde os projectos mais custosos estão a ser animados pelos departamentos de transporte dos estados, com concessões ou construções na Califórnia, Geórgia, Texas, Carolina do Norte, Virgínia e Ilinóis, apoiados pelos créditos federais da administração Trump.

Outras construtoras espanholas, como ACS ou FCC, têm uma presença menos significativa no Brasil e não estão tão interessadas o focadas no seu mercado.

ACS possui um negócio residual no Brasil, apenas um negócio eléctrico através da sua filial Cobra. A companhia prefere instalar-se na América do Norte e na Ásia, mercados que considera mais seguros a nível jurídico. No entanto, ACS (juntamente com Atlantia) controla Abertis, que comprou em 2012 o negócio brasileiro de OHL e que tem algumas concessões importantes como Rodovias dos Calçados, uma auto-estrada de 450 quilómetros situada integralmente no estado de São Paulo, e onde serão investidos 1.500 milhões de Euros.