O crescimento da economia mundial atingiu o seu pico, segundo a OCDE

O crescimento da economia mundial atingiu o seu pico, segundo a OCDE

Fonte: El Economista
21/11/2018

A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) advertiu hoje que a economia mundial alcançou o seu pico em 2018 e que no próximo ano vai iniciar uma desaceleração como consequência das tensões comerciais, condiciones financeiras mais rigorosas e da subida dos preços do petróleo.

No seu relatório semestral, a OCDE situa em 3,7 % a subida do Produto Interno Bruto (PIB) global em 2018 e baixa-o duas décimas para 2019, nos 3,5 %, prevendo a mesma cifra para 2020.

O relatório revela também que embora as condições do mercado laboral estejam a melhor – a taxa de desemprego da OCDE está actualmente no seu nível mais baixo desde 1980 -, o crescimento do investimento e do comércio foi mais suave do que o esperado e a confiança nos mercados não termina de instalar-se. A tensão comercial fez aumentar a incerteza para fazer negócios; as tensões comerciais entre os Estados Unidos e a China por um lado, e a incerteza política e geopolítica na Europa (causada pelo “Brexit” na Grã-Bretanha), no Oriente Médio e na Venezuela por outro, são factores que geram dúvidas nos investidores.

Além disso, a crise financeira global, contra a que estamos a lutar há dez anos, continua a provocar efeitos adversos nas economias mais débeis e menos desenvolvidas, apesar das políticas aplicadas para mitigá-las.

Entre as recomendações gerais, o relatório ressalta que é “vital” não repetir erros anteriores como, por exemplo, a introdução de medidas que limitem as importações e destaca que as políticas macro-económicas devem minimizar a acumulação de vulnerabilidades financeiras e garantir a existência de uma margem de manobra em caso de futuros contratempos. Os governos deveriam fomentar taxas de juro baixas para coordenar um estímulo fiscal; no caso da UE também recomenda completar com urgência a união bancária e a conseguir um acordo com o Reino Unido que mantenha uma relação “o mais estreita possível” entre as partes.