Mercado do petróleo procura unir esforços para controlar oferta

Mercado do petróleo procura unir esforços para controlar oferta

29/08/2016 fonte “Diario Económico”

Com uma conjuntura de preços baixos no fecho da semana passada, os principais países produtores de petróleo procuram um consenso e unir esforços para alcançar a estabilidade no mercado, no meio de posições divididas.

O ministro do Petróleo da Arábia Saudita, Khalid Al-Falih, opinou recentemente que não é necessário reduzir as entregas de crude ao mercado, considerando que isso dependerá unicamente das leis da oferta e da procura.

Esta posição afasta-se de um eventual acordo a ser estabelecido na próxima reunião da Organização de Países Exportadores de Petróleo (OPEP), que vai decorrer na Argélia no mês de Setembro, onde participarão produtores importantes como a Rússia, para levar a cabo uma acção conjunta susceptível de fazer disparar as baixas cotizações.

O mercado acusa um excesso de fornecimentos desde há mais de dois anos, uma tendência que esta semana provocou perdas de mais de 3%, uma cifra que representa quase a sua maior descida semanal num mês.

O preço do Brent desceu hoje 31 cêntimos para ser vendido a 49,36 Dólares o barril, enquanto que o West Texas Intermediate desceu 14 cêntimos até aos 47,19 Dólares por barril.

O ministro de Petróleo do Irão assegurou, por seu lado, que o país cooperará com os outros produtores para estabilizar os mercados petrolíferos, sempre e quando se respeitem as decisões individuais de recuperar quotas no mercado internacional.

No entanto, o secretário geral da OPEP, Mohammed Barkindo, apelou à adopção de medidas concretas com vista a reduzir os níveis de bombeamento actuais e manejar a produção e poder assim equilibrar os preços.

Alcançar um consenso sobre as medidas a tomar para equilibrar os preços e estabilizar o mercado não será fácil dada a absoluta disparidade de posições, mas o caminho para reduzir perdas terá, mais cedo ou mais tarde, que passar por aí.