A energia solar caminha para ser a principal fonte de electricidade nos E.U.A.

A energia solar caminha para ser a principal fonte de electricidade nos E.U.A.

06/07/2016 fonte “América Economia”

A energia solar encaminha-se, pela primeira vez, para ser a fonte que mais electricidade entrega à rede eléctrica dos Estados Unidos este ano.

Segundo membros do sector e alguns relatórios independentes, este feito foi alcançado mais por motivos económicos que pelos incentivos verdes, mas a verdade é que o custo da electricidade procedente de instalações solares a grande escala é agora comparável – e em ocasiões até mais barata – à gerada pelo gás natural -, inclusive sem os incentivos destinados a promover a energia limpa.

Alentada pelos apelos à auto-suficiência e ao cuidado do meio-ambiente, e pelos subsídios públicos, a indústria solar estava inicialmente dominada pelas instalações solares nos telhados para proporcionar luz às casas e aos negócios individuais.

Actualmente são os grandes sistemas que vendem directamente às companhias eléctricas quem dominam o mercado e está previsto que representem mais de 70% da nova capacidade solar que seja acrescentada à rede este ano.

O êxito da energia solar em grande escala fez surgir dúvidas sobre as vantagens de continuar a incentivar as instalações em pequena escala em açotéias e telhados, que continuam a ser muito mais caras do que a maioria das outras formas de electricidade e requerem fortes incentivos para que resultem atraentes aos proprietários das vivendas.

Os custos das grandes instalações de energia solar sem subvenções vão dos 50 aos 70 Dólares americanos por megawatt/hora (de 5 a 7 cêntimos por quilowatt/hora), face aos 52 a 78 Dólares das plantas de gás mais eficientes, segundo um estudo de 2015 do banco de investimento Lazard. No entanto, produzir energia com painéis instalados nos telhados de casas residenciais é ainda muito mais caro: entre 184 e 300 Dólares por MW/hora sem subvenções, segundo o mesmo relatório.

Matt Freedman, advogado de The Utility Reform Network, uma organização californiana que defende os interesses dos clientes de companhias de serviços, afirma que a produção solar é eficiente se se leva a cabo em grande escala nos campos, mas que não o é tanto em pequena escala nas nossas próprias casas: “Se se leva um painel solar desde a açotéia de alguém e se põe no campo, a quantia a pagar por essa electricidade cai precipitadamente”, afirmou; mas “onde está a graça de tê-lo no telhado? Não está claro”.